A Fundação | Artes Visuais | Música | Núcleos | Campanhas | Conversa de Professor                                 Fale Conosco
 

VERANÓPOLIS

O projeto CONVERSA DE PROFESSOR, em 2009, trabalhou três eixos: Meio Ambiente, Vida e Saúde e Infância. Em Veranópolis, a temática foi INFÂNCIA.

Encerrado.


Apoio:     
Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Veranópolis
Sinpro/RS - Sindicato Cidadão

Ecarta Musical - Edital 2013/2
Galeria de Arte - Mostras selecionadas - 2013
 
Nome: 
E-mail: 
 
 


PROGRAMAÇÃO – eixo-temático INFÂNCIA


03/06Da contação de histórias ao letramento - Neiva Paim

A atividade propõe uma viagem pela arte de contar histórias; aborda a necessidade e a importância do mundo letrado e a construção do processo de alfabetização (espontâneo e/ou convencional) na cumplicidade desta trajetória. Jogos e brincadeiras engendram esta caminhada para uma alfabetização sem trauma. O prazer em ler e criar - o papel da escola neste processo.

Bibliografia sugerida: (artigos de sua autoria, publicados, disponibilizados abaixo em formato PDF):
- Conceber, nascer, permanecer, de Neiva Coelho Paim;
- O prazer de brincar, de Neiva Coelho Paim;
- Mãos pequenas, de Andréa Coelho Paim e Neiva Coelho Paim.

09/07Musicalização - Andiara Lemos Lino

A música é um objeto de conhecimento a ser construído pela criança a partir das experiências vivenciadas em seu corpo da sensibilização, da escuta, das “paisagens sonoras" (SCHAFER, 1991, p.32). Reconhecer estes diferentes sons e sensações somente ocorre com a vivência da criança e seu despertar para construção musical, uma ação natural e espontânea na infância. Em todas as culturas a criança se envolve num mundo sonoro, num mundo imaginário onde cantar, dançar, brincar e se movimentar é um jogo de faz-de-conta. Na Educação Infantil estas ações estão intensamente ligadas ao mundo dos sons.

Bibliografia sugerida:
BBEYER, Esther (organizadora); Ana Paula Stahlschmidt, Dulcimarta Lemos Lino, Luís Fernando Lazzarin . Idéias em Educação Musical . Porto Alegre: Editora Mediação, 1999.
BRITO, Teca Alencar de . Música na Educação Infantil – propostas para a formação integral da criança . São Paulo: Peirópolis, 2003.
CUNHA, Susana Rangel Vieira da (organizadora) . Cor, som e Movimento: a expressão plástica, musical e dramática no cotidiano da criança . Porto Alegre: Editora Mediação, 2002.
DELALANDE, François . La música es um juego de niños . Ricordi: Buenos Aires, 1995.
KOELLREUTTER, Hans-Joachim . Terminologia de uma nova estética da música . Porto Alegre: Editora Movimento, 1990.
PIAGET, Jean. A formação do símbolo. Imitação, jogo e sonho imagem e respresentação.Rio de Janeiro: Zahar,1978.
SCHAFER, Murray. O ouvido pensante. Trad. Marisa Trench de O. Fonterrada, Magda R. Gomes da Silva, Maria Lucia Pascoal. São Paulo: Editora Unesp, 1991.
Artigos:
Revista Abem, março de 2006, número 14. RUSSEL, Joan . Universidade McGill, Montreal, Canadá . Perspectivas socioculturais na pesquisa em educação musical: experiências, interpretação e prática. Tradução e adaptação para o português de Beatriz Ilari.
Música na Educação Infantil - Quem canta seus males espanta? LINO, Andiara Lemos. Universidade Federal do Rio Grande do Sul- Faculdade de Educação - Pró Reitoria de Pós Graduação. Orientação de Leda Junqueira Maffioletti em dezembro de 2004.


02/09Brincar e construir - Altino José Martins Filho

Significar, participar e interagir do brincar das crianças possibilita-nos melhor conhecer as suas realidades sociais e culturais. Tais realidades apresentam especificidades próprias em relação à produção cultural e as formas de sociabilidades dos adultos. Esta compreensão nos faz afirmar a infância como uma categorial geracional e as crianças como produtoras de culturas infantis. Na produção das culturas infantis as crianças utilizam diversas linguagens, sendo o brincar a linguagem por excelência que lhes possibilitam criar, imaginar, fantasiar, transformar e subverter a ordem das coisas. Podemos dizer que a rotina do brincar é uma das linguagens mais presentes na vida das crianças e por isso, pretendemos tomá-la como eixo norteador do pensar e agir pedagógico do professor da escola da infância. As brincadeiras serão consideradas como linguagem-conteúdo que fazem parte da experiência humana, apresentando-se na infância como atividade privilegiada, tão importante como qualquer outra dimensão do ser humano.

Bibliografia sugerida:
FARIA. A. L. G. de. O Espaço Físico como um dos Elementos Fundamentais para uma Pedagogia da Educação Infantil. In: FARIA, A. L. G. de e PALHARES, M. S. (Orgs.) Educação infantil pós-LDB: rumos e desafios. 3.ed. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 1999, p.67-97.
GEERTZ, Cliffort. A Interpretação das Culturas. São Paulo: Guanabara Koogan, 1989.
GALEANO, Eduardo. O Livro dos Abraços. Editora LP&M, Porto Alegre. 2002.
MARTINS FILHO, Altino José (Org.). Criança Pede Respeito: temas em educação infantil. Porto Alegre: Mediação, 2005, 160p.
MARTINS FILHO, Altino José et. al. Infância Plural: crianças do nosso tempo. Porto Alegre: Mediação, 2006, 120p.
MARTINS FILHO, Altino José. Crianças e Adultos: marcas de uma relação. IN: MARTINS FILHO, Altino José et. al. Infância Plural: crianças do nosso tempo. Porto Alegre: Mediação, 2006, 120p.
QVORTRUP, Jeans. A Infância na Europa: novo campo de pesquisa social. Centro de Documentação e Informação sobre a Criança. Instituto de Estudos da Criança, Universidade do Minho, 1995. Tradução de Helena Antunes, (mimeo).
ROCHA. Eloisa Acires C. A Pesquisa em Educação Infantil no Brasil: trajetória recente e perspectiva de consolidação de uma pedagogia da educação infantil. Florianópolis: Núcleo de Publicações - UFSC, 1999.
SARMENTO, Manuel Jacinto. As Culturas da Infância nas Encruzilhadas da 2ª Modernidade. In: SARMENTO, M. J. & CERISARA, A. B.. Crianças e miúdos: perspectivas sociopedagógicas da infância e educação. Edições ASA- Porto- Portugal 2004.

07/10Os saberes e fazeres da professora da E.I. - Adriana Dihl Moraes

A atividade propõe abordagem na organização dos espaços escolares, equilíbrio entre iniciativa infantil e trabalho dirigido nas atividades, atenção aos aspectos emocionais, linguagem, trabalho com as diferentes áreas do conhecimento, organização da rotina, utilização dos materiais disponíveis, atenção individualizada a cada criança, capacidade de avaliar de forma coerente, capacidade para trabalhar com as famílias.

Bibliografia sugerida:
ZABALZA, Miguel - Qualidade em Educação Infantil, Porto Alegre, 1998.
GARDNER, Howard - A criança pré-escolar, Porto Alegre, 1994.
EDWARDS, Carolyn, Gandini, Lella, Forman, George - As cem linguagens da criança, Porto Alegre, 1999.
BARBOSA Maria Carmen Silveira – Por amor e por força rotinas na Educação Infantil.
KRAMER, Sonia – Com a pré-escola nas mãos, São Paulo, 1991.




Fundação Cultural e Assistencial ECARTA
Av. João Pessoa, 943 - Porto Alegre - RS - Brasil - Fone: 51-4009.2970
© Copyright 2005 - 2011 Todos os direitos reservados (All Rights Reserved)